best-luxury-2024-mercado-luxo-rede-brasil-mercedes-benz-novo-eqe-300-suv-carros-aldo-rosa-eletrico-3
marcas-e-lideres-2024-rede-brasilinovador-innovation-trends-aldo-rosa-ceo-palestrante-corporates-investimento-febraban-tech-ciber-seguranca-bancos
rede-rs-cidade-2024-brasil-inovador-rio-grande-sul-aldo-rosa-ceo-reconstrucao-doacoes-resgate-acolhimento-abrigo-municipio-enchente-randoncorp-daniel-instituto-elisabetha-randon
agro-inovador-2024-rede-brasil-inovacao-esg-ia-ecossistema-startups-hub-aldo-rosa-ceo-palestrante-cna-senar-agronegocio-gaff-agribusiness-festival-xp-sp

CCR tem lucro ajustado de R$ 449 mi no primeiro trimestre, alta de 41,5%

CCR tem lucro ajustado de R$ 449 mi no primeiro trimestre, alta de 41,5%

CCR (CCRO3) tem lucro ajustado de R$ 449 mi no primeiro trimestre, alta de 41,5%

Companhia divulgou seus números trimestrais nesta noite de segunda-feira

Felipe Moreira

A CCR (CCRO3) reportou lucro líquido ajustado de R$ 449 milhões no primeiro trimestre de 2023 (1T24), montante 41,5% superior ao reportado no mesmo intervalo de 2023, informou a companhia nesta segunda-feira (6). A empresa explica que o resultado se deve a “captura do forte crescimento da demanda” no período. O lucro antes juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado totalizou R$ 2,06 bilhões no 1T24, um crescimento de 4,6% em relação ao 1T23.

A margem Ebitda ajustada, por sua vez, atingiu 59,4% entre janeiro e março deste ano, baixa de 1,8 p.p. frente a margem registrada em 1T23. A receita líquida somou R$ 3,479 bilhões no primeiro trimestre deste ano, crescimento de 7,7% na comparação com igual etapa de 2023. As despesas operacionais somaram R$ 448,3  milhões no 1T24, uma diminuição de 16,3% em relação ao mesmo período de 2023.

O resultado financeiro líquido foi negativo em R$ 790 milhões no primeiro trimestre de 2024, uma redução de 5,8% sobre as perdas financeiras da mesma etapa de 2023. No 1T24, os investimentos realizados (incluindo aqueles a serem recebidos como ativo financeiro), somados à manutenção, atingiram R$ 1,088 bilhão. Em 31 de março de 2024, a dívida líquida da companhia era de R$ 23,966 bilhões, um crescimento de 11,4% na comparação com a mesma etapa de 2023. O indicador de alavancagem financeira, medido pela dívida líquida/Ebitda ajustado, ficou em 3,0 vezes em março/23, alta de 0,01 p.p. em relação ao mesmo período de 2023.

https://www.infomoney.com.br/