best-luxury-2024-mercado-luxo-rede-brasil-mercedes-benz-novo-eqe-300-suv-carros-aldo-rosa-eletrico-3
rede-rs-cidade-2024-brasil-inovador-rio-grande-sul-aldo-rosa-ceo-reconstrucao-doacoes-resgate-acolhimento-abrigo-municipio-enchente-randoncorp-daniel-instituto-elisabetha-randon
rede-brasil-inovador-2024-inovacao-innovation-trends-aldo-rosa-ceo-palestrante-ecossistema-startup-ia-esg-hub-cni-cna-cnc-cnt-ntc-sebrae-avenue-connection-itau-jp-morgan-blackrock

Fundação FHC recebe no dia 24.06.24 os economistas que fizeram o programa de estabilização da economia brasileira

Fundação FHC recebe no dia 24.06.24 os economistas que fizeram o programa de estabilização da economia brasileira

Evento | 30 anos do Plano Real

Fundação FHC recebe nesta 2a feira os economistas que fizeram o mais bem-sucedido programa de estabilização da economia brasileira

Com André Lara Resende, Armínio Fraga, Edmar Bacha, Gustavo Franco, Pedro Malan e Pérsio Arida

Dia 24 de junho de 2024, às 15h – evento híbrido e gratuito.

Inscreva-se pelo link https://bit.ly/4bgxrpM
para acompanhar via Zoom!

Em 1º de julho serão completados 30 anos do lançamento oficial da atual moeda brasileira, o real. Contudo, o plano econômico que culminou neste lançamento foi implementado em etapas ao longo de seis meses. É certamente o plano mais bem-sucedido de nossa história, com o feito de ter debelado a hiperinflação que havia afligido os brasileiros nos anos 80 e início dos 90. O sucesso do projeto, com toda a sua engenhosidade e sofistificação, só foi possível por uma combinação de fatores. O primeiro deles foi a transparência com a qual foi comunicado a toda a população e ao mercado. Graças a ela, brasileiros e brasileiras puderam compreender e aceitar as mudanças, afastando do seu cotidiano o costume de já contar com um preço mais alto no dia seguinte – a chamada memória inflacionária. Foi fundamental ainda a liderança do presidente Fernando Henrique Cardoso ao transmitir tranquilidade e confiança a empresários e investidores, bem como para negociar mudanças legislativas com a classe política. Por fim, coube à democracia, que há pouco havia sido conquistada, a criação das condições necessárias para que toda essa costura acontecesse e ofertasse um legado inestimável a toda a população brasileira.

Participação de:

André Lara Resende – Foi diretor do Banco Central e presidente do BNDES. Fez parte das equipes que elaboraram os planos Cruzado e Real. Foi ainda assessor da Presidência da República no governo de Fernando Henrique Cardoso e participou do grupo de Economia da equipe de transição para o 3º governo Lula.

Arminio Fraga – Sócio-fundador da Gávea Investimentos, é presidente dos conselhos do Instituto de Estudos para Políticas de Saúde (IEPS) e do Instituto de Mobilidade e Desenvolvimento Social (IMDS). É também membro do Group of Thirty e do Council on Foreign Relations, além de conselheiro da Fundação FHC. Foi presidente do Banco Central, presidente do conselho da B3, diretor do Soros Fund Management e trustee da Princeton University, onde obteve seu PhD.

Edmar Bacha – Sócio-fundador e diretor do Instituto de Estudos de Política Econômica/Casa das Garças (IEPE/CdG), no Rio de Janeiro. Membro das Academias Brasileiras de Ciências e de Letras, foi presidente do BNDES e do IBGE e professor em diversas universidades no Brasil e nos EUA.

Gustavo Franco – Fundador da Rio Bravo Investimentos, é membro de diversos conselhos consultivos e de administração. Foi secretário adjunto de Política Econômica, diretor de Assuntos Internacionais e presidente do Banco Central.

Pedro Malan – Foi ministro da Fazenda (1995-2002), presidente do Banco Central (1993-1994) e negociador-chefe da dívida externa (1991-1993). É autor de ‘Uma certa ideia do Brasil: Entre passado e futuro’ (Intrínseca, 2018).

Persio Arida – Foi secretário de Planejamento e diretor do Banco Central, além de presidente do BC e do BNDES. No setor privado, trabalhou no Unibanco, Opportunity e Itaú. Foi sócio fundador e Chairman do BTG Pactual.