Programa da JBS recupera 2.000 hectares de área florestal

Programa da JBS recupera 2.000 hectares de área florestal

Um dos principais produtores de carne bovina do mundo, o Brasil tem potencial para ganhar ainda mais destaque quando o assunto é sustentabilidade na produção agropecuária. O programa Escritórios Verdes, da JBS, é um exemplo de projeto nesse caminho. Em 2 anos, a iniciativa apoiou a regularização ambiental de 6.700 fazendas, por meio das unidades que atuam nas regiões Norte e Centro-Oeste do país. Uma média de 279 propriedades regularizadas por mês. 

Desde a criação dos Escritórios Verdes, em 2021, quase 19.000 produtores iniciaram protocolos de atendimento junto ao programa. Do total, 12.000 seguem em processo de adequação. A iniciativa já colaborou para recuperar 2.000 hectares de vegetação florestal. Área equivalente a 2.000 campos de futebol. 

Atualmente, a JBS monitora, por dia, 73.800 potenciais fornecedores de gado, por meio de imagens de satélites e informações públicas oficiais. Esses produtores, por sua vez, podem cadastrar os próprios fornecedores na plataforma Pecuária Transparente.

Desenvolvida com tecnologia blockchain, a ferramenta permite ampliar o controle ao longo da cadeia produtiva. 

Todos os pecuaristas ligados, direta ou indiretamente, à empresa devem seguir a Política de Compra Responsável. Isso significa, dentre outras orientações, que:

  • Não podem invadir terras indígenas, territórios quilombolas, unidades de conservação ambiental ou áreas embargadas pelo Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis);
  • Estar envolvidos em desmatamentos; nem
  • Submeter trabalhadores a condições análogas à escravidão….

Quando alguma irregularidade é encontrada, o fornecedor tem a venda para a JBS bloqueada, e tem início o trabalho dos Escritórios Verdes. Consultores especializados prestam assistência técnica gratuita àqueles que desejam estar em acordo com as regulamentações socioambientais exigidas pela empresa.

Os pecuaristas recebem diagnósticos dos problemas e planos de ação. Além de contarem com uma rede de consultorias habilitadas, que auxilia o processo de regularização, cujo custo é arcado por eles. Para facilitar o acesso ao crédito, a empresa também firmou parcerias com instituições financeiras.

Diretora de Sustentabilidade da JBS Brasil, Liège Correia afirma que é preciso enfrentar os problemas em conjunto e integrar o pequeno produtor. “Nosso trabalho entende que a solução estratégica para o setor, como um todo, é enfrentar o problema do desmatamento em conjunto com os pecuaristas e também integrar o pequeno produtor. Não basta apenas bloquear quem não está em conformidade com a nossa política de compras. É necessário dar orientação e apoiar quem age de boa fé a trilhar o caminho da regularização”.

As transformações alcançadas por meio dos Escritórios Verdes fizeram com que a iniciativa fosse destaque em um estudo inédito, patrocinado pelo governo do Reino Unido e realizado pela consultoria Agroicone, em parceria com a iniciativa internacional P4F (Partnerships for Forests), em junho deste ano. 

O relatório “Sustentabilidade na Cadeia da Carne: caminhos para o Brasil e os aprendizados da P4F” classificou o programa como uma BPA (Boa Prática Agropecuária), essencial para impulsionar ganhos de produtividade e reduzir os impactos negativos da atividade. 

O documento afirma que a assistência técnica é um dos grandes gargalos do setor no país. O relatório cita, a partir do Censo Agropecuário 2017, que só 20% dos estabelecimentos receberam algum tipo de orientação técnica. “Identificar meios de disseminação de conhecimento no campo é fundamental”, declarou o estudo. 

ESCRITÓRIOS TÊM 19 UNIDADES PELO PAÍS

Atualmente, os Escritórios Verdes têm 19 unidades, nas regiões Centro-Oeste e Norte do Brasil. Estão nos Estados de Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Rondônia e Acre –onde a mais recente foi inaugurada, em junho deste ano. A expectativa é abrir mais uma unidade até o final de 2023.

“Estamos crescendo rapidamente, bem em linha com as nossas metas para 2023. Começamos este ano com 18 unidades e, em breve, alcançaremos nosso objetivo de chegar até dezembro com 20 Escritórios Verdes”, explicou Liège Correia. 

O pecuarista interessado em se regularizar pode procurar um dos Escritórios Verdes para ter auxílio profissional especializado. A supervisora de Sustentabilidade da Friboi, Lorena Geyer, está entre os especialistas que atuam na unidade em Marabá, no Pará.

Além da expansão física do programa, a JBS tem visto a adesão crescer. Em 2021, ano de lançamento da plataforma Pecuária Transparente, os fornecedores registrados representavam 14% do processamento do ano anterior. A meta é alcançar 57% em 2023 e 79% em 2024. Ao final de 2025, a empresa só comprará daqueles que estiverem cadastrados.

A conclusão dos processos de regularização em andamento de 12.000 produtores é outro efeito benéfico esperado. Tão logo eles cumpram as exigências dos órgãos de fiscalização, haverá aumento de pecuaristas aptos a operar de forma regular. Um ganho para o setor e para o meio ambiente, como um todo. 

“Os Escritórios Verdes são uma demonstração do nosso compromisso com a sustentabilidade e com a promoção de práticas de impacto positivo na cadeia de produção, que reduzem o desmatamento e as emissões de carbono”, afirmou o gerente de Sustentabilidade da JBS, Alexandre Kavati.


https://www.poder360.com.br